Decorar + harmonia = Bem Estar

segunda-feira, 27 de junho de 2016

O Volume está em alta é o queridinho na escolha dos revestimentos

Com certeza, volume está em alta nas Coleções 2016.

Deixando mais modernos  os lugares dando às paredes personalidade, estilo. 
 dando a sensação de um belo jogo de luz com  possibilidades de composições únicas as vezes até. 




Cores neutras ainda são a base, mas as cores ganham espaço nas linhas onde o volume é "ilusório", por conta do efeito 3D aparente.
Pode-se ver como um movimento retrô, de releitura sobre a arquitetura moderna brasileira.



Invadiu todos os tipos de materiais com força total: pastilhas de porcelana, porcelanatos, mosaicos de madeira, passando pelos super em alta comentícios. 




 Não deixando de lado os cobogós que, além de personalizar os espaços com volume , trazem iluminação, ventilação e uma certa privacidade entre espaços, sejam eles internos ou fachadas.


Revestir

quarta-feira, 15 de junho de 2016

Limpar não é só o antonino de sujar !

Para o budismo o tempo investido na limpeza do ambiente é um momento de gratidão, de dedicação ao outro e de encontro com o seu eu interior. Pequenos gestos de cuidados produzem paz interior e removem a sujeira do espírito. Por isso um templo budista está sempre impecavelmente limpo. Simples assim...


O monge budista Keisuke Matsumoto escreveu um manual simples e muito interessante sobre alguns preceitos do budismo que podem acrescentar, e muito, na maneira ocidental de encarar a vida.

Diariamente limpamos os cômodos da nossa casa, nossas roupas e nossos objetos. De tempo em tempo selecionamos e nos desfazemos do que não nos serve mais. Até então compartilhamos das mesmas práticas de higiene e de limpeza dos monges budistas. O que diferencia é a maneira como realizamos estas tarefas.

NOSSO COMPORTAMENTO DEVE SER PURO; E A CONDUTA DE VIDA FLEXÍVEL E TRANSPARENTE COMO A ÁGUA. DESDE O INÍCIO DE TUDO, ONDE HAVIA ÁGUA, EXISTIA UM CAMINHO. DEIXE A CASA DE BANHO IMPECÁVEL, COMO SE REMOVESSE A SUJEIRA DA ALMA.

PERMITAM QUE OS OBJETOS QUE LHE SERVIRAM ATÉ ENTÃO POSSAM EXERCER SUAS FUNÇÕES NAS MÃOS DE TERCEIROS — SEJA-LHES GRATO E REPASSE-OS. ISSO É VALORIZÁ-LOS.

A cultura oriental tem muito a acrescentar ao nosso estilo de vida. Além dos cuidados com a limpeza do ambiente e com a higiene pessoal, as dicas práticas do Manual nos conscientizam que é preciso diminuir o ritmo, realizar uma tarefa por vez, exercitar o desapego dos objetos e das pessoas, manter a organização e acima de tudo compreender que somos parte da natureza que se renova e se constrói através dos nossos atos.


Até quando ? ...

As pessoas choram, ou se lamentam:
Fui roubado, errei, perdi o emprego, menti, sinto culpa pelo que fiz, fui omisso, fui arrogante, tive preconceito, julguei, fui malvado, fui negligente, enganei, não consigo perdoar, tenho medo, falta isso ou aquilo, uma pessoa querida fez a passagem, terminei um relacionamento..
A lista é quase infinita.
Podemos chorar um dia ou uma vida por vários motivos.
E todos têm seus motivos, e na verdade é saudável e natural lamentar ou prantear as perdas.
Mas é importante também avaliar até quando.
De que serve manter os motivos, manter a dor, manter o lamento, o pranto, a não aceitação, revolta e outros sentimentos negativos às vezes até por uma vida inteira?
A não ser para aumentar e criar mais dor e mais sofrimento?
E que beneficio pode ter para a nossa vida ou de qualquer outra pessoa perto de nós mantermos esse padrão por até anos a fio?
Para não trair aqueles a quem magoamos, ou que sofreram por nossa culpa ou engano?
Para ‘pagar’ pelo que fizemos?
Porque a vida é assim?
Porque merecemos?
Fomos ensinados que existe mérito no sofrimento, que os sofredores vão para o céu, que depois de sofrermos coisas boas acontecem, que deus ou o destino decidiu assim, e muitas outras crenças similares.
Algumas vezes podemos nem nos dar conta conscientemente de que estamos ou pensamos assim.
Porém pode ser bem diferente, e cabe a cada um de nós tomar a decisão interna de mudar nosso padrão ou atitude.
Que tal chorar apenas um dia, um breve período, e depois largar, desapegar, e decidir que daqui em diante chega de choro e lamento e partir para novas atitudes?
Isso pode ser feito sozinho, através de uma reflexão ou meditação profunda, pedindo ajuda a algum amigo ou pessoa de confiança, buscando um tratamento ou terapia até - existem muitas opções - mas continuar na mesma vibração indefinidamente não deveria ser uma escolha de vida.
A vida é e pode ser vivida com leveza, suavidade, acolhimento, alegria, abundância, saúde, força, energia e muito mais. Todo o peso emocional negativo pode e deve ser largado, deixado, transmutado, enviado a luz, e todo espaço pode ser preenchido com amor incondicional, aceitação, respeito, bondade e mantendo a decisão interna firme de viver de modo mais leve e feliz.
Dar esse passo é uma decisão e uma escolha consciente.
E essa decisão pode mudar e muito sua vida hoje mesmo e todos os dias daqui para frente.
Que tal?
Com amor,
Liliana Bauermann,

terça-feira, 14 de junho de 2016

Ressignificar essa é a bola da vez . A tendência da vez é unir significados do ontem e do hoje

Repaginações, releituras, reedições, recriações,

 reinvenções, referências, como é bom refazer! 




E tem coisa mais gostosa do que pegar aquela poltrona 

antiga e aplicar um patchwork, ou pintar com uma 

cor vibrante numa cômoda tradicional de madeira, trocar os 

puxadores, dar uma "atualizada"?




Elas tornam o ambiente personalizado, mais moderno, criam

 uma bossa, dão um tempero.

Eu adoro reaproveitar mobiliaria. Não sou de jogar e 

começar tudo no zero.




 Acredito que tudo tem uma estoria e

 que devemos respeitar cada objeto antigo que nos remete a  
infância e a entes queridos.